Pesquisar este blog

quinta-feira, 25 de março de 2010

Motivos de sobra para não se ter motivo nenhum



Todo dia ela faz tudo sempre igual,
(...)
Todo dia ela diz que é pra eu me cuidar,
essas coisas que diz toda mulher.
(...)
Todo dia eu só penso em poder parar.
(...)
Diz que está muito louca prá beijar,
E me beija com a boca de paixão.
(...)
Meia-noite ela jura eterno amor
E me aperta pr'eu quase sufocar.
(...)



Chico Buarque escreveu essa música e deu a ela o nome de "Cotidiano". Não sou uma estudiosa do mundo da MPB, mas sempre que a ouço percebo o quanto ele queria demonstrar os sentimentos de amor e insegurança que "ela" tem e, por causa deles, faz tudo sempre igual. Foi ouvindo e pensando sobre isso ontem que resolvi escrever o amor X insegurança.

Sou só eu ou amar está diretamente relacionado a ser inseguro?
Já reparou que todas as vezes que você gosta de alguém, ou que você começa a gostar de alguém, o seu maior vilão não a ex dele/dela, ou outras pessoas que já tiveram ou têm algum tipo de relação com o objeto de sua adoração, mas sim você mesmo?
É você quem cria todas as barreiras, é você que inventa todas as neuras, é você que fica pensando se liga ou não liga, porque afinal ele(a) não pode te achar fácil demais, ao mesmo tempo que ser ou parecer difícil também é um saco!
Todas as dúvidas, todos os medos, todos motivos que tornam algo "simples" e "leve", como o amor, em "pesado", "sofrido" e "duvidoso" partem da sua cabecinha e das coisas que você desconhece sobre a cabecinha do seu/sua amado (a).
Mas será que isso não existisse seria melhor ou pior?
Eu sou sempre a favor do "faça o que você quiser, não sou eu quem vou te regrar".

Realmente , não sou o tipo de pessoa que limita os outros demais, pelo contrário; sou daquelas que prefere dar corda, mesmo sabendo que a própria pessoa vai se enforcar lá na frente.

Isso no sentido bom da coisa, pois acreditem, existe um lado bom em se enforcar sozinho. É, exatamente, nessa hora que você, que você quebra sua cara e machuca feio, que descobre que aquilo dói, que errar dói, que ser avisado de um erro e não seguir um conselho pode te trazer mais dor de cabeça que muita coisa, ao mesmo tempo que vai te ensinar muito mais do que qualquer "não erro" que você pudesse escolher.

Nossa, estou me sentindo autora de livro de auto-ajuda... mas foi bem esse o motivo que me trouxe aqui hoje.

Não sou ninguém senão uma pseudo-adulta que só sabe de suas próprias experiências de vida, mas estava precisando de uma dose extra de AUTO-ajuda, para mim mesma, se é que vocês me entendem.
A melhor forma de se ajudar é reconhecer fatos que a sua própria vida impõe ou escolhe para você viver...

140 caracteres foram poucos para que eu pudesse tentar escreve tudo e nada de uma vez só. Motivos de sobra para se não ter motivo nenhum no twitter não coube.


Texto de Raissa Maciel que também está no blog Mais de 140 Caracteres

3 comentários:

  1. eu adoro essa música, soa tão.. papai e mamãe.
    Nossa, relacionamento e insegurança andam juntas, mesmo que voce nao assuma.
    Você pode até dar corda, mas lá no fundo bate sim o medinho de ter dado corda demais. O próprio instindo humano nos faz agir assim, defender as conquistas está na genética...
    Lutar contra isso, é válido, ja que lutamos contra outros milhoes de instintos que demoraram séculos pra entrarem de vez no código de barras humano.

    ResponderExcluir
  2. Fiquei muito feliz que você tenha gostado tanto a ponto de postar aqui!=)


    Foi um lapso de tempo que precisou sair e você ainda gosta dele...
    Como podia ser melhor?!

    ResponderExcluir